Elevador de condomínio: 3 dicas de gestão e manutenção

Elevador de condomínio é um dos equipamentos mais utilizados de um prédio e exclusivamente por esse motivo deve ser constantemente monitorado pelo síndico. Afinal, se ele parar, só restarão as escadas para subir, motivo suficiente para causar transtornos para você.

A melhor forma de garantir seu funcionamento e de diminuir custos é fazer uma gestão preventiva. Confira, neste post, 3 dicas de gestão e manutenção que você precisa colocar em prática o quanto antes. 

1. Estabeleça medidas econômicas

Antes de chegar o momento de substituir o elevador, medidas podem ser tomadas para que ele continue operando perfeitamente e consumindo poucos recursos. Veja:

Elevadores com sistema eletrônico:

  • iluminação de cabine: a luz pode ser ligada, por meio de um sistema de controle, somente quando o elevador for solicitado;
  • ativação por proximidade: em edifícios onde há mais de uma cabine, permite que o elevador mais apropriado atenda à chamada;
  • comando eletrônico: reduz o consumo de energia e protege a estrutura do elevador. Controlando aceleração e desaceleração, diminui os desgastes em componentes como cabos de aço e sistemas de freio;
  • manutenção periódica: um elevador com a tensão das correias correta e com um bom alinhamento e lubrificação do motor, garante que o equipamento funcione adequadamente, aumentando sua vida útil.

Elevadores sem sistema eletrônico:

  • revisar frequentemente a condição do quadro e das instalações elétricas usadas pelo elevador;
  • chamar apenas um elevador de cada vez.
  • atenção ao lavar corredores, para que a água não escorra pelos cabos elétricos do fecho e corroa as portas dos elevadores;
  • estender panos nas portas para absorver a água.

2. Escolha um contrato de manutenção adequado à condição do elevador

Existem dois tipos de contratos para a manutenção de elevadores, sendo que ambos devem ser amparados por um engenheiro mecânico responsável, inspeções mensais e fornecedores certificados. Confira:

Contrato de manutenção preventiva

É o mais adequado para condomínios novos, pois os elevadores recém-instalados possuem peças com maior vida útil, gerando menos manutenções.

Contrato de manutenção preventiva e corretiva

Inclui trocas de equipamentos e peças em geral e é o acordo ideal para prédios mais antigos, nos quais um plantão a postos para atender ocorrências emergenciais pode ser a salvação de elevadores mais antigos. Solicite uma avaliação técnica dos componentes e um cronograma de substituições toda vez que o contrato for renovado.

A gestão do contrato é de responsabilidade do síndico, que deve conhecer os equipamentos do prédio a fim de saber exatamente o que pode ser acordado no contrato, evitando gastos e serviços desnecessários.

3. Estipule normas de uso e segurança

Convoque uma assembleia para definir as regras de uso do elevador para mantê-lo conservado e seguro para todos, as normas de uso podem ser baseadas na lista abaixo:

O que não deve ser feito

  • puxar a porta do pavimento sem que o elevador esteja no andar;
  • apertar várias vezes o botão de chamada;
  • fumar dentro do elevador;
  • realizar movimentos bruscos;
  • lotar com o peso acima do indicado pelo fabricante;
  • impedir o fechamento das portas com objetos;
  • permitir que crianças pequenas usem o elevador sozinhas.

Exponha que o excesso de lotação pode comprometer a segurança dos usuários e resultar no desgaste prematuro do veículo.

Caso o elevador pare entre dois andares

As pessoas devem:

  • manter a calma;
  • utilizar o interfone ou acionar o botão de alarme para pedir ajuda;
  • pedir que encontrem o zelador e, caso necessário, o Corpo de Bombeiros ou a empresa contratada pela manutenção do equipamento;
  • aguardar com calma.

Não forçar as portas para tentar sair por conta própria, pois o elevador pode voltar a funcionar no momento em que a pessoa estiver saindo.

Fixe as normas de uso e segurança dentro do veículo para que todos possam saber como proceder.

Com as três dicas abordadas ao longo deste post, esperamos que você possa ter compreendido como gerir e manter o elevador de condomínio operando corretamente. Coloque-as em prática e você verá que os custos elevados diminuirão rapidamente.

O que achou deste artigo? Para conhecer quem somos bem como nossas novidades, curta nossa página no Facebook!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo